Mesmo em meio a uma economia delicada que presenciamos em 2020, as fintechs de pagamento foram destaque e projetam crescimento para 2021. 

Podemos facilmente relacionar este movimento à expansão da cultura open finance e open banking no Brasil, além da popularização dos meios digitais como forma de pagamento, comprovada pela rápida propagação do Pix, novo meio de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central.

Além disso, temos uma agressiva difusão do comércio digital. Com as lojas fechadas durante longos períodos, a solução foi recorrer aos meios eletrônicos para manter as vendas – que são intermediadas por processadores de pagamentos online.

A tendência é que estes novos hábitos de consumo se consolidem e evoluam, assim como a intimidade do brasileiro com o consumo de serviços financeiros, fazendo do mercado de fintechs ainda mais carregado de boas expectativas graças a maior certeza de lucros previsíveis em uma realidade inevitável.

Aquisição de fintechs

Recentemente, o Méliuz anunciou a compra da Acesso. Antes focada em cupons de desconto e cashback, agora o Méliuz pretende oferecer serviços financeiros como empréstimos, investimentos e seguros à sua base de usuários.

Ainda em maio de 2021, a Ame adquiriu a Nexoos, uma fintech que conecta investidores a pequenas e médias empresas em busca de crédito, o que evidencia a aposta das Lojas Americanas neste segmento.

A Via (nova VVAR3 e antiga Via Varejo, dona da Casas Bahia e Ponto Frio) informou no final de abril deste ano a compra da fintech Celer, também com o objetivo de ampliar sua oferta de serviços financeiros – nesse caso, mais voltada aos vendedores do seu marketplace.

Neste mesmo movimento, a Locaweb mostrou sua atenção redobrada no mercado financeiro adquirindo a Bling e a PagCerto também em abril deste ano, com intenção de unir produtos financeiros ao mercado de ERP.

O aumento do número de aquisições e fusões têm aumentado pelos últimos dois anos e o interesse do capital estrangeiro em fintechs brasileiras se mostra cada vez maior.

Mercado dinâmico e aquecido

Na lista de 12 startups de maior valor do mundo divulgada no final de abril de 2021 pela Statista, empresa especializada em dados de mercado, tivemos a presença de 3 fintechs junto a empresas como SpaceX e ByteDance. sendo uma delas brasileira.

O desenvolvimento digital e o progresso do open finance permitiram a grandes empresas aumentarem suas receitas. Além disso, fizeram com que players de pequeno e médio porte pudessem atuar com sucesso neste mercado sem grandes burocracias. 

O pagamento é a principal etapa no processo de compra e venda dentro de plataformas de comércio digital. Etapa que, cada vez mais, exige transparência, segurança e uma experiência humana e agradável. Para isso, a contratação de intermediadores de pagamento competentes tornou-se algo fundamental para uma expansão segura – verdade que se reflete no mercado através de consecutivas aquisições de fintechs, empresas que reúnem em si o que há de mais inovador no setor de pagamentos.

Outra tônica deste fenômeno é a preocupação das grandes plataformas digitais em se conectar financeiramente ao seu consumidor, reduzindo a distância, a fricção e oferecendo produtos financeiros diversificados e de qualidade.

A alta liquidez

Em um mercado tão líquido, ser uma fintech ou ter sua própria fintech passa a ser duplamente vantajoso. Além de atuar em um mercado aquecido e cheio de oportunidades, sua empresa passa a ser alvo de potenciais investidores e compradores.

Além de se beneficiar de novas fontes de receita, economia e eficiência trazidas pela tecnologia financeira, ganho de inteligência de mercado através de análise de dados para aperfeiçoar seu modelo de negócios, você experimenta um aumento significativo no valuation da sua empresa e maior poder de barganha.

Como tornar-se uma fintech?

Deseja se tornar uma fintech ou oferecer serviços financeiros em sua plataforma? A Atar B2B oferece a melhor plataforma Banking as a Service disponível com um core bancário poderoso, além de produtos white label e tecnologia para automação de operações. Estamos há 8 anos no mercado financeiro, atendemos toda a regulação do Banco Central e já ganhamos mais de 10 prêmios de reconhecimento.

Solicite contato no botão abaixo e permita-nos saber como podemos lhe ajudar! Conte com assessoria comercial e técnica inteiramente à sua disposição.

Sobre os autores

Orlando Purim Junior
Orlando Purim Junior
Co-founder & CEO em Atar B2B | LinkedIn
James Raul Withoeft
James Raul Withoeft
Coordenador de Marketing em Atar B2B | LinkedIn

Possui formação em Comunicação Social com habilitação em publicidade e propaganda e vasta experiência em branding, direção de arte publicitária, design gráfico, projetos editoriais, CX, UX e UI.